BOAS PRÁTICAS PARA A EXECUÇÃO DE PISCINAS

Este vídeo aponta os principais cuidados que você deve ter para evitar complicações durante a construção da sua piscina

Caso tenha interesse disponibilizamos também o download do arquivo.

  • Um profissional especializado é sempre a melhor opção para a execução de uma piscina.
  • Após a concretagem da estrutura da piscina, normalmente se faz a impermeabilização do local. Verifique com o um engenheiro civil qual o tempo mínimo que se deve esperar após a aplicação do emboço para a aplicação do impermeabilizante.
  • Consulte o fabricante do impermeabilizante utilizado e pergunte:
  1. Quantos dias o impermeabilizante pode ficar exposto a intempéries
  2.  Como fazer a proteção mecânica estruturada antes da aplicação do revestimento.

 

  • Depois de aplicada a proteção mecânica estruturada, aguardar pelo menos 14 dias para o assentamento do revestimento (esse tempo se faz necessário para que a estrutura já possa sustentar o seu próprio peso e a sobrecarga de toda a alvenaria, prevenindo assim tensões advindas da deformação imediata, parte da deformação lenta, recalque admissível das fundações e retração das argamassas utilizadas nas alvenarias). Recomenda-se a sua execução quando a temperatura estiver entre 5°C e 40°C e quando as temperaturas da base do revestimento e dos materiais componentes do revestimento estiverem compreendidas entre 5°C e 27°C.
  • Não se esqueça que as juntas de movimentação, de dessolidarização e estruturais devem ser previamente planejadas: consulte a NBR 13755 e a NBR 7200 para maiores detalhes da execução. Lembre-se que quando houver juntas de movimentação ou juntas estruturais, estas devem ser respeitadas também em todas as camadas que constituem o revestimento, de forma a ter correspondência entre elas.
  • Não usar argamassa de rejuntamento como juntas de movimentação, de dilatação ou estrutural. Consulte um engenheiro para saber qual o tipo de material que deve ser usado nestas juntas.
  • Em revestimentos com porosidade e alta absorção, aconselha-se fazer um teste prévio em uma pequena área para saber se o revestimento não será manchado. 
  • Antes da realização do assentamento, a superfície que vai receber a argamassa deve estar:
  1. Limpa, isenta de materiais estranhos, do tipo pó, óleo de desmoldantes e tintas que possam impedir a boa aderência da argamassa.
  2. Sem trincas, que a superfície não esteja friável, que quando percutida não apresente som cavo
  3. Alinhada em todas as direções de forma que em toda a sua extensão, use uma pequena espessura, sem ter que corrigir grandes ondulações da base (o desvio de planeza não deve ser maior do que 3 mm em relação a uma régua retilínea com 2m de comprimento).
  • Proteja a piscina para impedir a incidência direta do sol, da chuva e do vento durante a aplicação da argamassa colante e da argamassa de rejuntamento. Geralmente observamos a cobertura como uma barraca protegendo toda a sua extensão, de tal maneira que os assentadores possam trabalhar embaixo da cobertura e protegidos.

Os revestimentos cerâmicos devem ser assentados a seco.

Misture a argamassa com a quantidade de água indicada na embalagem. A mistura pode ser manual ou com ajuda de um misturador mecânico.

Mistura Manual: colocar a argamassa em uma caixa apropriada e ir adicionando a água aos poucos, misturando e amassando até obter uma argamassa sem grumos, pastosa e aderente.

Mistura mecânica: colocar água em um balde e, sob a agitação de misturador, ir acrescentando pó até obter uma argamassa sem grumos, pastosa e aderente.

  • Deixe a argamassa em repouso por 10 minutos para os aditivos iniciarem a sua reação, re-amassar a mistura.A argamassa deve ser utilizada em no máximo 2 horas e 30 da mistura inicial (salvo quando da utilização de argamassas rápidas que devem obedecer às orientações específicas), sendo que dentro deste período é vedada a adição de mais água ou outros materiais.
  • A argamassa colante deve ser protegida do sol, da chuva e do vento.
  • O assentamento do revestimento deve atender toda as juntas necessárias ao espaço (juntas de assentamento, estrutural, de movimentação e de dessolidarização). Para maiores informações sobre este assunto, procure o engenheiro responsável pela obra, ele deverá explicar as necessidades para cada ambiente.
  •  Ao executar o assentamento, deve-se manter espaçamentos ou juntas entre elas para atender as seguintes funções: 
  1. Facilitar o alinhamento, 
  2. compensando a variação de bitola, 
  3. atender a estética e oferecer relativo poder de acomodação às movimentações da base e do revestimento e por último, 
  4. facilitar o preenchimento, 
  5. garantindo a completa vedação da junta.
  • Não é necessário umedecer a base de aplicação da argamassa colante, porém, em locais sujeitos à insolação e ou ventilação, a base deve ser umedecida, porém sem ser saturada.
  • Utilizar desempenadeira de aço denteada, com tamanho dos dentes de 8 x 8 x 8 mm
  • A área de aplicação da argamassa colante deve ser determinada para cada caso e depende das condições locais de  temperatura, insolação, ventilação e/ou umidade relativa do ar. Se estas forem agressivas, podem provocar a formação de película (início da secagem) sobre os cordões da argamassa colante formados, reduzindo o tempo em aberto da argamassa e falseando a aderência das placas cerâmicas. 
  • Depois de misturada a argamassa ela só pode ser usada até 2 horas e meia de sua mistura. É vedado o aproveitamento de sobra de pasta de argamassa colante de um período a outro de trabalho, ou de um dia para outro.
  • Estender a argamassa colante com o lado liso da desempenadeira, apertando-a de encontro à base, formando uma camada uniforme de cerca de 5 mm a 6 mm de espessura, quando for utilizada desempenadeira com dentes 8 mm x 8 mm x 8 mm. A seguir, aplicar o lado denteado, formando cordões que facilitam o nivelamento e a fixação das placas cerâmicas.
  • Estender os cordões de argamassa na base de aplicação (piso ou parede). O revestimento deve ser assentado com os dentes cruzados em relação aos dentes da base. Colocar o revestimento ligeiramente fora da posição e em seguida, pressioná-lo, arrastando-a perpendicularmente aos cordões, até sua posição final. Atingida a posição final, aplicar vibrações manuais de grande frequência, transmitidas pelas pontas dos dedos, procurando obter a maior acomodação possível, que pode ser constatada quando a argamassa colante fluir nas bordas da placa cerâmica. Para peças menor que esta área, a argamassa pode ser aplicada apenas na base de aplicação, com exceção de peças especiais que embora tenham área pequena necessitem de dupla colagem de argamassa.
  • O excesso de argamassa removido com a desempenadeira de aço denteada deve retornar ao recipiente onde está o restante da argamassa colante já preparada, para ser re-misturado e utilizado na próxima aplicação.
  • Para qualquer tamanho de revestimento, reentrâncias de altura maior do que 1 mm presentes no tardoz de alguns tipos de revestimento cerâmico devem ser preenchidas com argamassa colante. Este preenchimento deve ser feito ao mesmo tempo que o assentamento.
  •  No assentamento do revestimento, os cordões de argamassa colante devem ser totalmente desfeitos, formando uma camada uniforme, configurando-se impregnação total do tardoz pela argamassa colante.
  • Proteger o revestimento recém-assentado da ocorrência de chuvas.

Rejuntamento do Revestimento

  • O rejuntamento do revestimento deve ser iniciado no mínimo após três dias de seu assentamento.
  • Proteja a piscina para impedir a incidência direta do sol, da chuva e do vento durante a aplicação do rejuntamento. Geralmente observamos a cobertura como uma barraca protegendo toda a sua extensão, de tal maneira que os assentadores possam trabalhar embaixo da cobertura e protegidos.
  • Verificar previamente, se houver alguma peça que não esteja firmemente aderida, esta deve ser retirada e assentada novamente.

    • As juntas entre os revestimentos devem estar isentas de qualquer tipo de sujeira que impeça a perfeita penetração e aderência do rejuntamento.
    • Sujeira nas juntas, umidade da base, presença de esmalte nas bordas das cerâmicas e desigualdade na secagem prejudicam o acabamento e provocam diminuição na resistência do rejuntamento. 
    • Umedecer as juntas entre os revestimentos com utilização de broxa, de modo a remover o pó, e deixá-las umedecidas, para garantir uma boa hidratação e aderência do rejuntamento. Com as juntas ainda úmidas, fazer a aplicação da argamassa de rejuntamento.
    • O material do rejuntamento deve ser aplicado em excesso, com auxílio de espátula de silicone, desempenadeira emborrachada ou rodo de borracha, preenchendo completamente as juntas.
    • A espátula / desempenadeira deve ser deslocado em movimentos contínuos de vaivém, diagonalmente às juntas. A espátula / desempenadeira deve ser suficientemente macia para não riscar o revestimento e suficientemente resistente para forçar a pasta para dentro da junta de assentamento.
    • Aplicar o rejuntamento em pequenas áreas e limpar o excesso imediatamente.
    • Depois de 15 a 40 minutos, remover o excedente do rejuntamento com um pano seco ou espuma umedecida em água, a fim de evitar a aderência do rejunte à superfície do revestimento.
    • A limpeza final pode ser feita após 6 horas após o término do rejuntamento e deve ser feito com esponja limpa e água.
    • Após rejuntada toda área, umedeça levemente o rejuntamento por 3 dias, uma vez ao dia, sem encharcá-la, mantendo a área coberta.
    • Depois de 72 horas após o término do rejuntamento a piscina já pode ser enchida com água.
    • A água da piscina deve ser tratada corretamente obedecendo as faixas ideais de controle de pH, Cloro e Dureza Cálcica total, desde o primeiro dia do enchimento. 
    •  

BIBLIOGRAFIA

Para uma perfeita execução sem patologias futuras, sugerimos a leitura e o estudo das seguintes normas:

NBR 7200 – Execução de revestimento de paredes e tetos com argamassas inorgânicas – Procedimento.

NBR 9818 – Projeto e execução de piscina (tanque e área circundante)

NBR 10.339 – Projeto e execução de piscina – Sistema de Recirculação e tratamento

NBR 13.753 – Revestimento de piso interno ou externo com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento.

NBR 13.754 – Revestimento de paredes internas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento.

NBR 13.755 – revestimento de paredes externas e fachadas com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante – Procedimento.